Logo AME-SP
 
 
Ícone de Telefone

(11) 2360 8900

Ícone de E-mail
ame@ame-sp.org.br
Ícone do Facebook Ícone do Youtube Ícone do Instagram Ícone do Twitter  
 

GOALBALL: CONHEÇA ESSE ESPORTE PARALÍMPICO

O Goalball é uma modalidade esportiva criada exclusivamente para pessoas cegas ou com baixa visão. Teve início na Alemanha, em 1946, como forma de ressocialização de ex-combatentes que haviam perdido a visão, ou parte dela, durante a II Guerra Mundial. O esporte foi idealizado pelos professores Hanz Lorenzen e Sepp Reindle.

O Goalball é um esporte de equipe, disputado por dois times com três jogadores e três atletas reservas. Podem competir na mesma equipe atletas das classes B1(cego), B2 e B3 (portadores de visão subnormal), segundo as normas de classificação da Federação Internacional de Esportes para Cegos (IBSA, em inglês). Todo jogador deve, obrigatoriamente, utilizar venda oftalmológica durante as partidas, de modo que um atleta com visão parcial não obtenha qualquer vantagem. O goalball é disputado nas categorias masculina e feminina.

O jogo acontece em um espaço com as mesmas dimensões da quadra de vôlei (18 metros de comprimento por 9 de largura), na linha de fundo de cada lado localiza-se o gol, que mede 9 metros de largura (toda a largura da quadra) por 1m30 de altura. Ganha a equipe que fizer o maior número de gols.

Cada metade da quadra é dividida em três áreas de 3 x 9 m: a área de ataque, a área de defesa e a área neutra. O time que está atacando não pode invadir a parte do adversário e tem apenas o seu espaço para lançar a bola rasteira ou quicando, tendo obrigatoriamente que tocar o chão da sua metade antes de atingir a outra.

Os jogadores do outro time usam uma sequência de movimentos para se defender: atenção (agachado), reação (deslizamento) e finalização (deitado com braços estendidos para tentar cobrir todo o gol). Eles também ficam dentro de uma área limitada e tem o posicionamento orientado por linhas táteis – barbantes presos com fita adesiva.

Além de arbitrar a partida, no Goalball os árbitros têm a função de narrar o jogo para melhor compreensão das equipes e do público.

A bola oficial tem tamanho semelhante à de basquetebol e ao invés de uma câmara de ar, possui guizos dentro dela e, na parte de fora, orifícios que potencializam o barulho, para que os jogadores a localizem através da audição. Por isso, o silêncio é muito importante para o bom andamento da partida.

As partidas são disputadas em dois tempos de 12 minutos, com três de intervalo. Quando uma equipe abre dez gols de vantagem, o confronto é encerrado imediatamente, não importando o tempo da partida.

Mesmo que ainda pouco conhecida no Brasil, a modalidade conta com a intensa participação de pessoas com deficiência visual. Justamente devido ao grande número de atletas, o Brasil teve uma enorme evolução neste esporte, ganhando, pela primeira vez, a medalha de prata nas Paralimpíadas de Londres em 2012.

Em São Paulo diversas instituições oferecem a oportunidade da prática do esporte. Algumas delas são:

SESI Mogi das Cruzes; fone (11) 4727-2120

Associação de Pais e Amigos e Deficientes Visuais (APADV) – São Bernardo do Campo                (11) 7512-5651  www.apadvsbc.org.br

Centro de Emancipação Social e Esportivo de Cegos (CESEC)     (11) 3213-7008      www.cesec.org.br

Serviço:

 

Comitê Paralímpico Brasileiro – www.cpb.org.br

Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais – www.cbdc.org.br.

 
 
Please update your Flash Player to view content.

Destaques AME

Estudo Comparado da Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência

Estudo Comparado da Lei...

Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo publicou o livro...
+ saiba mais...
AME RECEBE SELO DE ÉTICA PROBARE PELO SEGUNDO ANO CONSECUTIVO

AME RECEBE SELO DE ÉTICA PROBARE...

AME RECEBE PELO SEGUNDO ANO CONSECUTIVO O SELO DE ÉTICA PROBARE (PROGRAMA BRASILEIRO DE...
+ saiba mais...
GOVERNO LANÇA CENTRAL DE LIBRAS COM TECNOLOGIA ICOM

GOVERNO LANÇA CENTRAL DE LIBRAS...

O Governo do Estado de São Paulo lançou o primeiro posto da Central de Libras, nesta...
+ saiba mais...
 
Home
Quem Somos
Associado
Vagas / Profissionais
Cadastro de Currículos
Área exclusiva para funcionários
QUIOSQUE
Serviço / Projeto
Recrutamento e Seleção
Sensibilização
Como contratar pessoas com deficiência
Serviços Terceirizados
Intérprete de Libras
 
Clínica
Nossa localização
Sede
Rua Serra de Botucatu, 1.197 - Tatuapé
CEP 03317-001 - São Paulo - SP

Clínica
Rua Dr. Miguel Viêira Ferreira, 69 - Tatuapé
CEP 03071-080 - São Paulo - SP
Redes Sociais
Acompanhe a AME:
Atendimento
Para mais informações:
(11) 2360 8900
ame@ame-sp.org.br
 
Divulgações
Divulgue a sua marca em
nosso site!

Entre em contato para
mais informações!

 
18.06.2019