Precisamos falar sobre capacitismo

06/04/2021

Em recente post em seu blog, o nadador paralímpico Clodoaldo Silva aborda um tema que, apesar de extremamente presente na sociedade, ainda é mal compreendido: o capacitismo. O atleta explica que a discriminação de pessoas com deficiência, assim como o racismo e o machismo, é também um tipo de preconceito estrutural e, muitas vezes, inconsciente. Só que, como ele ressalta, alguns termos utilizados no dia a dia ferem e desmerecem a existência das pessoas com deficiência. “Nossa sociedade é cheia de conceitos certos e errados e, o pior, vive disseminando, sem perceber, o capacitismo”, afirma. Segundo Clodoaldo, a maioria dos indivíduos não tem informações suficientes sobre o universo das pessoas com deficiência e, assim, os preconceitos vão sendo passados de geração em geração. Para ajudar a explicar o conceito de capacitismo, quais seus impactos na sociedade e combater esses vícios comportamentais e de linguagem, ele elenca dez dicas. Confira:

1 – A pessoa com deficiência não é incapaz. Ela pode desenvolver uma via plena e funcional.

2 – A forma como a pessoa com deficiência desenvolve uma tarefa pode ser diferente da maioria das pessoas, mas isso não a torna incapaz.

3 – Antes de presumir que a pessoa não consegue e já sair oferecendo ajuda só porque a pessoa tem deficiência, deixe-a realizar qualquer que seja a atividade.

4 – As pessoas com deficiência trabalham, têm vida, se divertem, bebem, transam e isso deve ser normalizado.

5 – A deficiência, seja ela de qual natureza for, não é em si uma doença, e a pessoa com deficiência não está necessariamente procurando uma cura ou mudança.

6 – A pessoa com deficiência não deve ter obrigação nenhuma em ser vista como um exemplo de superação.

7 – Supervalorizar uma pessoa com deficiência simplesmente por ela realizar um trabalho comum, como usar um computador, intrinsecamente mostra que você imagina que ela era incapaz para a tarefa.

8 – A pessoa está vivendo a sua vida, portanto não deve ser transformada em um herói só por viver com sua deficiência.

9 – João sem braço, desculpa de aleijado é muleta, pior cego é aquele que não quer ver, retardado, aleijado, mongoloide são expressões e palavras preconceituosas que dão força ao capacitismo.

10 – O contrário de uma pessoa com deficiência não é uma pessoa normal, mas sim, uma pessoa sem deficiência.

Para ler o post completo no blog de Clodoaldo, clique aqui.

Quer saber mais sobre o assunto?

Se você também sonha com um mundo sem barreiras, quer saber mais do que falamos ou conhecer o nosso trabalho ou implementar nossas tecnologias em sua empresa ou condomínio, mande uma mensagem.

Últimos posts

Skip to content
Close Bitnami banner
Bitnami